Aquisição e uso das formas de tratamento em português – língua estrangeira

Authors

DOI:

https://doi.org/10.12797/SI.18.2019.18.28

Keywords:

forms of address, Portuguese language teaching and learning, didactic texts, Portuguese, (un)politeness

Abstract

Acquisition and Use of Forms of Address in Portuguese as a Foreign Language

The main purpose of this text is to analyse the complex system (and use) of the forms of address and how it is presented to learners of Portuguese as a foreign language.
After a brief, and mainly theoretical, consideration about politeness in Linguistics, social deixis and its relation to the forms of address, this system of forms in Portuguese (European and Brazilian) is presented, as a starting point for the analysis of the kind of description that Grammars and didactic materials for foreigners usually do when they refer to the use of the various forms of address.
The acquisition of this system and the way it is transmitted are also referred. The text concludes with some suggestions in order to make it easier the teaching / learning of the correct use of these forms in Portuguese.

References

ARRUDA, L. (2000), Gramática de Português para estrangeiros, Porto Editora, Porto.

ARRUDA, L. (2014), Gramática de Português Língua Não Materna, 2 ed. (2ª reimpressão), Porto Editora, Porto.

AVELAR, A., DIAS, H. B. M., CASTELEIRO, J. M. (2001), Lusofonia. Curso Avançado de Português Língua Estrangeira, Lidel, Lisboa−Porto−Coimbra.

CARMO, L. (2004), Olá! Como está? Livro de Textos. Curso Intensivo de Língua Portuguesa. A1/A2/B1/B2, Lidel, Lisboa−Porto−Coimbra.

CINTRA, L. F. L. (1986), Sobre «Formas de Tratamento» na Língua Portuguesa, 2 ed., Livros Horizonte, Lisboa.

DIAS, A. C. (2009), Entre Nós 1. Método de Português para hispano-falantes. A1/A2, Lidel, Lisboa−Porto−Coimbra. [Nova edição segundo o Acordo Ortográfico em 2011]

DUARTE, I. M. (2011), “Formas de tratamento em português: entre léxico e discurso”, Matraga, 18(28). UERJ, Rio de Janeiro, pp. 84-101, https://www.doi.org/10.12957/matraga.2011.26077.

GOUVEIA, C. A. M. (1996), “Pragmática” em: Faria, I. H. [et al.] (org.), Introdução à Linguística Geral e Portuguesa, Caminho, Lisboa, pp. 383-419.

GOUVEIA, C. A. M. (2008), “As dimensões da mudança no uso das formas de tratamento em Português Europeu” em: Duarte, I. M., Oliveira, F. (eds.), O fascínio da linguagem. Homenagem a Fernanda Irene Fonseca, FLUP, Porto, pp. 91-100.

HAMMERMÜLLER, G. (2004), Adresser ou éviter, c’est la question. Comments’ adresser à quelqu’un en portugais sans avoir recours à un pronom ou à une autre forme équivalente, [on-line] http://cvc.cervantes.es/obref/coloquio_paris/ponencias/pdf/cvc_hammermueller − 12.09.2018.

HENRIQUES, T. S., FREITAS, F. (2004), Qual é a dúvida?, Lidel, Lisboa−Porto−Coimbra.

LEECH, G. N. (1983), Principles of Pragmatics, Longman, London−New York.

LEMOS, H. (2000), Comunicar em Português, Lidel, Lisboa−Porto−Coimbra. [Edição revista em Novembro de 2003]

LEMOS, H. (2001), Praticar Português. Nível Elementar, Lidel, Lisboa−Porto−Coimbra. [Edição revista, e seguindo o Acordo Ortográfico, em 2013]

LEVINSON, S. (1983), Pragmatics, Cambridge University Pres, Cambridge. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9780511813313

LUZ, M. S. (1958), Fórmulas de Tratamento no Português Arcaico, Casa do Castelo Editora, Coimbra.

MANOLE, V. (2012), “As formas de tratamento nas línguas românicas: alguns usos em situações de intercompreensão mediadas na internet” em: Degache, C., Garbarino, S. (eds.), Actes du Colloque IC2012. Intercompréhension: compétences plurielles, corpus, intégration, Université Stendhal, Grenoble.

MARQUES, M. A. (2010), “Formas de tratamento e construção da relação interpessoal em Contos da Montanha de Miguel Torga”, Revista Galega de Filoloxía, 11, pp. 61-78.

NASCIMENTO, M.F.B., PEREIRA, L.A.S., BETTENCOURT, J., ESTRELA, A., OLIVEIRA, S., SANTOS, R. (2008), “Corpus África: as cinco variedades africanas do português”, XXIII Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística, APL, Lisboa, pp. 373-384.

OLIVEIRA, C., BALLMANN, M. J., COELHO, M. L. (2006), Aprender Português. A1/A2. Curso inicial de Língua Portuguesa para Estrangeiros, Texto Editores, Lisboa.

OLIVEIRA, C., COELHO, M. L., CASTELEIRO, J. M., CAMPELO, A., FARIA, A. (2007), Aprender Português 2. B1. Curso elementar de Língua Portuguesa para Estrangeiros, Texto Editores, Lisboa.

OLIVEIRA, L.C. (2009), “A evolução e o uso dos pronomes de tratamento de segunda pessoa singular no Português e no Espanhol”, Letra Magna: Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Lingüística e Literatura, 5(10).

PRATAS, S. A. P. (2017). As formas de tratamento e o ensino de português como língua não materna, Tese de Mestrado, FLUC, Coimbra.

ROSA, L. M. (2004), Vamos lá começar! Exercícios de vocabulário. A1/A2/B1, Lidel, Lisboa−Porto−Coimbra.

RODRIGUES, D. F. (2003), Cortesia linguística: uma competência discursivo-textual (Formas verbais corteses e descorteses em Português), FCSH-UNL, Lisboa, pp. 279-392.

SILVA, L. A. da (2010), “Formas de tratamento: contraste entre Portugal e Brasil”, AL LÍMITE. I Congreso SEEPLU, Facultad de Filosofía y Letras, Editorial Avuelapluma, Cáceres, pp. 56-62.

Downloads

Published

2019-12-31

How to Cite

de Frias e Gouveia, Maria Carmen. 2019. “Aquisição E Uso Das Formas De Tratamento Em Português – língua Estrangeira”. Studia Iberystyczne 18 (December):399-412. https://doi.org/10.12797/SI.18.2019.18.28.

Issue

Section

Linguística, didática e estudos de tradução